7 de janeiro de 2012

Voltando para casa


Texto base Lucas capítulo 15.11-32

Do que vale aproveitar-se das coisas deste mundo: festas, bebidas, orgias, riquezas, se as mesmas perecem e causam tormento?

Vidas que se detém a esses caminhos andam afadigadas, perturbadas, andando constantemente esbofeteadas pela carne. Sabemos que essa situação não ocorre somente com os que vivem sem a presença do Senhor, mas com os que já provaram do brilho celestial de Cristo.

Quantos exemplos de pessoas que caíram em delitos pecaminosos, em atos contrários a vontade do Senhor?

Muitos deles permanecem no erro, sem nenhuma força para sair, sem sucesso em suas tentativas, pois é como se o pecado passasse a ser semelhante a uma atividade do cotidiano.
Mais existem aqueles que caíram, que sentiram a dor do que é falhar contra Deus, o que traz um profundo pesar e angústia na alma. Muitos desses fazem ou fizeram semelhante ao filho pródigo: Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti; Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros. (Versículos 18, 19) E a esses que optaram por tal decisão, com o anseio e a saudade de voltar aos braços do Pai, houve uma resposta: Mas o pai disse aos seus servos: Trazei depressa a melhor roupa; e vesti-lho, e ponde-lhe um anel na mão, e alparcas nos pés; E trazei o bezerro cevado, e matai-o; e comamos, e alegremo-nos; Porque este meu filho estava morto, e reviveu, tinha-se perdido, e foi achado. (Versículos 22-24a)

Alex Salustino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alex Salustino

Alex Salustino
Cristão resgatado pelo precioso sangue de Cristo! Bibliotecário, blogueiro, músico, fotografo amador, graduando em marketing, proprietário da Alex Artes Gráficas. Sou o responsável por administrar o Pregando o Evangelho. Deus te abençoe!