19 de março de 2012

Um Deus misericordioso e justo

Sempre que ocorrem as catástrofes no mundo, as mortes sendo anunciadas todos os dias nos noticiários, a violência em número crescente, doenças que levam os povos a sepultura, as pessoas se levantam e dizem: Como um Deus tão bom, pode permitir que aconteça tanto mal?

Pois é! Pare e reflita um pouco! Como exemplo pense bem: Você gera o seu filho, o rodeia de todos os benefícios que pode lhe conceder, dá o carinho que ele precisa, se divide em vários para poder cuidar dele e estar atento para que quando ele necessitar de você na madrugada, você esteja de pé para tentar amenizar o seu choro de quando quer alguma coisa. E esse filhinho vai começando a crescer e vai começando descobrir várias e várias coisas e mesmo você tendo-o criado com todos esses benefícios, em alguma certa ocasião, ele se rebela contra você, começa a querer desfrutar de seus próprios anseios, quer descobrir o mundo e daí por diante, considera-se dono do seu próprio nariz.

Se você já leu o livro de Gênesis, nos primeiros capítulos, você certamente já viu a história de Adão e Eva, como foram criados e ao que Deus os designou. Ele os fez para viverem para a sua vontade, porém deram ouvidos a serpente e então o resultado foi drástico, pois a partir de então foram rebeldes ao Senhor. A partir de então, o que desencadeou foram as consequências das falhas e desde então, o mundo sofre e carrega em si a maldade impregnada em seu coração, seja qualquer pessoa, desde o seu nascimento, todo homem é mal. (Romanos 3.23)

Somos mais propensos a querer fazer as nossas vontades, que em muitos casos não coincidem com plano perfeito de Deus, mas queremos por força, fazer com que as nossas vontades estejam agrupadas a vontade do Supremo Criador, o que quase nunca resulta em boas coisas. Lembremos que o que Deus tiver de fazer em nossas vidas Ele fará: Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá? (Isaías 43.13)

Quando padecemos alguma situação contrária ao que esperávamos, temos um costume triste de blasfemar de Deus e murmurar, semelhantemente a um interrogatório onde quem julga não é o Soberano, mas a criatura. Deus é sempre bom, apesar de vermos a Bíblia relatando acerca da ira de Deus, entendamos que Deus é justo e santo (1 Pedro 1.16), Ele tem total direito de se irar contra aqueles que praticam iniquidade, pois o que é santo não pode se corromper com as trevas, jamais.

Que diremos pois? que há injustiça da parte de Deus? De maneira nenhuma. Pois diz a Moisés: Compadecer-me-ei de quem me compadecer, e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia. Romanos 9.14, 15

Deus não é injusto em circunstância alguma, muito pelo contrário, Ele é justo, fiel, totalmente cumpridor de sua Palavra e misericordioso. De quem Ele quiser se compadecer, Ele o faz, porém se não, não há quem possa lhe impedir ou dar-lhe instrução alguma. Em vários momentos, Deus sempre chamou muitas nações ao arrependimento, porém, por sua própria rebeldia, elas nem sempre quiseram curvar-se diante da grandeza de Deus para se arrependerem de suas iniquidades, o que muitas vezes acontece conosco, pois em circunstâncias quase que constantes, somos rebeldes a voz do Senhor, do Deus que dizemos amar, que dizemos louvar, mas que infelizmente está quase que sendo apagado de muitos corações.


Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? Romanos 9.20, 21

Todos merecem a morte, pois pecaram contra Deus, desde Adão, porém, Deus, dando o seu próprio filho, Jesus Cristo, fez pesar sobre Ele toda a maldade dos que são chamados pelo pela sua vontade e isso fez para que não tivéssemos que ir ao madeiro. Somente por meio da fé em Jesus Cristo e pelo arrependimento constante é que podemos ser salvos, não há outro meio. Sabendo também que falhando ou fazendo o bem, as consequências virão, sejam ruins, sejam boas, porém Ele é bom e por ser bom, açoita também aqueles a quem tanto ama.

2 comentários:

  1. Muito fácil ser justo e misericordioso apenas com quem segue as regras estabelecidas e exercer ira contra aqueles que considera pecadores. Isso não se chama misericórdia, se chama autoritarismo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É? Agora me responda: Para você, o que significa ter um único filho e entregá-lo a morte por amor a pecadores? No seu entendimento há bondade total na humanidade?

      Excluir

Alex Salustino

Alex Salustino
Cristão resgatado pelo precioso sangue de Cristo! Bibliotecário, blogueiro, músico, fotografo amador, graduando em marketing, proprietário da Alex Artes Gráficas. Sou o responsável por administrar o Pregando o Evangelho. Deus te abençoe!