6 de abril de 2012

Quem pode mais que Deus?

Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o SENHOR. Provérbios 21.30

Ao longo dos tempos, temos visto o quão perfeitas são as obras de Deus, desde o momento da criação que é narrada no livro de Gênesis, como Deus criou os céus e a terra, criou todos os animais, aves, repteis, os grandes peixes, as árvores, exatamente tudo. Após isso, fez o homem perfeito para que o servisse comprometidamente, sem se desviar das determinações que o Senhor lhe havia ordenado. Sabemos do acontecimento em seguida a criação do homem, o pecado se fez presente e daí em diante, coisas abomináveis começaram a acontecer e então isso se propaga até os dias de hoje.


Hoje nós vemos acontecimentos cada vez mais brutais, não demora para que você os visualize, pois estão presentes dentro de nossos lares, quando nossos familiares (não crentes principalmente) muitas vezes parecem que vão se dilacerar por conta de insultos, por conta de desavenças por tão pouca coisa. Mais se quer contemplar aos arredores, observe os conflitos existentes entre nações, por exemplo, observe o Oriente Médio, conflitos envolvendo Israel, Irã e outros mais. Mais ainda abordemos as seguintes questões: Com todos esses acontecimentos, as pessoas querem encontrar alguém para depositar a responsabilidade das fatalidades, das desgraças e vão diretamente a Deus, nem sempre perguntando o porque, mas dizendo: Se Deus é tão bom, porque temos de passar por isso? Se Deus é tão bom, porque permite as doenças gravíssimas, os tsunamis que houveram e arrasaram diversos lugares no continente asiático?


Mais porque elas não se reportam a queda do homem no Gênesis? Se nós procurássemos observar as coisas por outro ângulo, sem essa sujeira ocular (espiritualmente falando), enxergaríamos de quem realmente é a responsabilidade de toda a agonia pela qual passamos em nossa trajetória de vida. O fruto tem de ser colhido, inevitavelmente. Semeia-se o pecado, colhe-se consequências dolorosas. Semeia-se o bem, colhe-se benefícios. Com base nisso, as pessoas acabam se afastando de Deus e não compreendem o que significa a justiça de Deus, não compreendem que não há nada que possa se fazer para aplacar a realização do querer de Deus, seja de qual forma tiver de ser. O problema gira em torno de contemplar Deus como alguém mal, que só faz o que é mal, que só machuca, que só proíbe. Não é por aí. Deus é Santo, é perfeito, é majestoso, ninguém pode lhe dá conselhos para agir acerca de nada. A Bíblia já diz mais: 


Porque, quem conheceu a mente do SENHOR, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo. (1 Coríntios 2.16).  


E ainda diz: Mas, ó homem, quem és tu, que a Deus replicas? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra? (Romanos 9.20,21)

Temos aqui dois versículos que mostram muito bem como deve ser a nossa postura diante de Deus. Ninguém pode coordenar os projetos de Deus a não ser Ele mesmo. Se não nos cansamos de ouvir, precisamos ouvir ainda mais: Deus não precisa de nós! Ele já é altamente satisfeito com tudo que Ele é! Agora imagine-se sem Deus, o que você é, o que você faz, como vive, como procede nos seus intentos! O nosso problema é que limitamos a grandeza de Deus, querendo comprimi-lo dentro da nossa forma minuscula e isso causa serias complicações nas nossas vidas. Seja o que for que Deus tenha de fazer, sempre será tudo aprazível a Ele, embora não compreendamos em muitos momentos. Não há ninguém que possa instruir a Deus, tendo a ciência que tiver, pois para Deus tudo não passa de nada!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alex Salustino

Alex Salustino
Cristão resgatado pelo precioso sangue de Cristo! Bibliotecário, blogueiro, músico, fotografo amador, graduando em marketing, proprietário da Alex Artes Gráficas. Sou o responsável por administrar o Pregando o Evangelho. Deus te abençoe!