3 de maio de 2012

Cristo: Aquele que era, que é e que sempre será


E agora glorifica-me tu, ó Pai, junto de ti mesmo, com aquela glória que tinha contigo antes que o mundo existisse. João 17.5

Este era o Verbo que se fez carne e que habitou no meio de nós. Este é aquele de quem João já falava, dizendo que quando Ele viesse, não batizaria como o próprio João, visto que ele batizava com água, mas o Verbo, esse batizaria com o Espírito Santo. Este Verbo também é o qual João disse que não era digno de desatar a correia de sua sandália. (João capítulo 1)

Cristo já existia antes da fundação do mundo, pois Ele estava em Deus, visto que Ele e Deus são um só. Pai, Filho e Espírito Santo, a trindade, sempre estiveram juntos. Há quem deseje separa-los, defini-los como altamente individuais, por meio de falsas doutrinas, tentando assim investir com perversão, as mentes de muitos.

O Verbo é Cristo, a luz que veio para resplandecer sobre aqueles que são chamados pelo Senhor, aqueles que o próprio Deus separou para si, para a sua Glória Soberana, a fim de fazer-lhes saírem do seu estado vil para desfrutarem do processo que os conduziria a vida eterna. A partir de então, os que recebessem a Cristo passariam a ser chamados filhos de Deus. Há uma diferença muito grande entre ser filho de Deus e ser criatura de Deus. O filho de Deus obedece a Ele, objetivando primordialmente acima de tudo, ser obediente ao Pai, assim como o seu filho (Jesus) o foi, mesmo sendo o próprio Deus. A criatura segue rumos bem diferentes, ela está detida na corrupção carnal, não vem a Deus porque está engodada nos seus prazeres e deleites desta vida. Muitos, ou porque não dizer todos, acham-se filhos de Deus, mas se achando, nada se comprova, pois as suas próprias obras os reprovam quanto a adoção de filhos, feitas por Deus, mediante Jesus Cristo.

Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste; eram teus, e tu mos deste, e guardaram a tua palavra. Agora já têm conhecido que tudo quanto me deste provém de ti; Porque lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam, e têm verdadeiramente conhecido que saí de ti, e creram que me enviaste. Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus. (João 17.6-9)

Aqueles a quem o Senhor chamou, em Cristo, Ele mesmo os concede misericórdia. Em Cristo nós temos o privilégio que nos achegarmos ao Senhor, de lhe suplicarmos perdão, de derramar ante o escabelo de seus pés, a nossa dor, o nosso choro, nossa agonia, até mesmo as nossas falhas, por mais que sejam graves. Isso não é nada fantasioso e nem tampouco pode ser, pois estamos tratando aqui de alguém que detém todo poder e executa tudo conforme lhe apraz.

Imaginemo-nos quanto amor por nós, sendo nós ainda pecadores: Dá o próprio filho por amor de nós, estando sujos em delitos e ofensas. Agora o seu filho morre por nós, nos transforma, de modo que as práticas de outrora, os rudimentos do mundo, já não nos satisfazem. Houve uma restauração de nosso coração e também da nossa mente, antes corrupta e vil. Continuamos a ser pecadores, porém redimidos pelo sangue de Cristo, derramado na cruz do Calvário. Apesar de tal obra redentora, não devemos dá ocasião a carne, visto que o ato realizado por Cristo ali na cruz foi feito de uma vez por todas e cada vez que transgredimos e retornamos as práticas erradas é como se o fizéssemos novamente ir ao madeiro, como se o expuséssemos a morte novamente.

Apesar de tudo, o Filho intercede por nós junto ao Pai, ouvindo as nossas súplicas, nossos gemidos. Assim, Deus por ser infinitamente misericordioso e bondoso, nos concede aquilo que tanto lhe suplicamos e não nos pune como realmente merecíamos desde a fraqueza do genitor de todos os homens (Adão). Concluímos que este é o Cristo: Aquele que era, que é e que sempre será, lembrando que há de vir segunda vez, agora para buscar os seus! Louvado seja o Senhor eternamente, amém!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alex Salustino

Alex Salustino
Cristão resgatado pelo precioso sangue de Cristo! Bibliotecário, blogueiro, músico, fotografo amador, graduando em marketing, proprietário da Alex Artes Gráficas. Sou o responsável por administrar o Pregando o Evangelho. Deus te abençoe!