13 de maio de 2012

Para quem olhar em meio as tentações?


Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar. 1 Coríntios 10.13

Para nós que somos pó, não é nada fácil lutar contra as tentações que nos sobrevém. Em muitos momentos nos esforçamos por demonstrar a nossa aparente bravura e nos achamos capazes de vencê-las, mas quando nos observamos mais refletidamente, já estamos nos enxergando no chão, caídos, vulneráveis as nossas falhas. Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia. 1Coríntios 10.12

Sabemos que dia após dia, travamos uma batalha interiormente, isso diz respeito à guerra entre carne e espírito. Ambos guerreiam tremendamente em nossas vidas e a nós é incumbida a seguinte tarefa: fazer a vontade do espírito que certamente produzirá frutos gloriosos e duradouros, pois são frutos para a eternidade. Os frutos da carne serão insatisfatórios e trarão desastre para as nossas vidas.


A quem recorrer nas horas tentadoras?


Por isso convinha que em tudo fosse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote naquilo que é de Deus, para expiar os pecados do povo. 
Porque naquilo que ele mesmo, sendo tentado, padeceu, pode socorrer aos que são tentados. Hebreus 2.17, 18


Se em meio aos nossos momentos de tentação olhássemos diretamente para Cristo, teríamos mais forças para lutar contra as tentações. Isso se daria na observância da luta de Jesus contra as circunstâncias difíceis, a exemplo: a tentação no deserto onde o diabo lhe apresentou diversas propostas para que Ele viesse a abdicar do que Deus já havia determinado. A blasfêmia dos fariseus contra ele, sempre se interpondo para o tentarem em diversas situações. Aqueles que escarneciam Dele no momento dos açoites dirigindo-o logo em seguida ao Calvário para ser crucificado.

Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e mediante quem tudo existe, trazendo muitos filhos à glória, consagrasse pelas aflições o príncipe da salvação deles. Hebreus 2.10

Logo, dessa forma, Jesus tem poder e soberania suficiente para nos socorrer diante das nossas tentações, nos ajudando em todo tempo a resistir firmemente. Porém é correto atentarmos que nos são impostas responsabilidade para tal, vejamos:

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Tiago 1.2-4

Se quisermos servir ao Senhor fielmente, devemos entender que enquanto na terra sempre seremos provados, passando por aflições, por situações muito difíceis, com vistas ao perfeiçoamento de nossas vidas perante o Senhor.


Quem nos tenta?

Ao contrário, cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte. Tiago 1.14, 15

Enquanto não olharmos atentamente para Cristo, como Soberano, Autor da nossa fé e não objetivarmos nos desligar das práticas do erro, não teremos condições de vencermos as tentações, mas se lhe suplicarmos misericórdia e realmente tomarmos firmemente em nossos corações a sua ação gloriosa e a sua resistência quando provado, iremos adiante confiantes na sua majestade. Amém!


Por Alex Salustino. Sermão Pregado no Culto de Jovens na V Igreja Evangélica Congregacional da Aliança em Cidade Verde, no dia 05 de maio de 2012.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Alex Salustino

Alex Salustino
Cristão resgatado pelo precioso sangue de Cristo! Bibliotecário, blogueiro, músico, fotografo amador, graduando em marketing, proprietário da Alex Artes Gráficas. Sou o responsável por administrar o Pregando o Evangelho. Deus te abençoe!